Faz a diferença

outubro 3, 2007

Trilha é o que não andou faltando aqui no blog. Gosto de destacar esse tema, pois a sonoridade na propaganda, TV, cinema, etc, faz a diferença. Tira a monotonia de uma cena e transforma em algo animado. Consegue que as pessoas se recordem de algum trecho que a princípio passaria despercebido.

O que seria de Quentin Tarantino sem a marcante trilha sonora que o diretor de cinema impõem aos seus filmes? Ou os longas do boxeador Rocky com sua famosa música? Star Wars? Indiana Jones?!

O que seria dos leites Parmalat e seus bichinhos de estimação? Do Guaraná Antártica e a pipoca na panela?

A Folha de S.P. está veiculando uma propaganda (criação da África) para divulgar os dvd´s de clássicos do Jazz que vai passar a vender junto com o jornal.

Não é só a trilha que se destaca. O final do VT fecha com a ótima música Cantelope Island (música marcante no mundo do jazz). O mais interessante é o diálogo dos atores. A voz deles foi “substituída” por instrumentos. Extremamente musical.

Anúncios

Madeleine Peyroux

setembro 20, 2007

Madeleine no Brasil.. Tocou em Ouro Preto, Diamantina, São Paulo e ainda vai para Brasília e Salvador.

Fera do Jazz comparada a Billie Holiday, e que veio na leva norte-americana junto com Norah Jones.

Madeleine Peyroux – I´m All Right

Cores vivas

agosto 30, 2007

Uma batida meio funk, as vezes um rock ou se você preferir um toque de jazz. Em certos momentos, eu acho que Living Colour, banda nova iorquina, se assemelha ao Alice in Chains. Mas indo mais a fundo na discografia desta banda que nasceu nos anos 80, a gente percebe que a bagagem deles vai um pouco além.

Apesar de só possuir integrantes negros, o nome Living Colour nada tem a ver com isso. Ele foi extraído de uma vinheta da rede de TV norte-americana NBC: “The following program is brought to you in living colour” (O próximo programa é trazido até você em cores vivas).

Em 1994, o guitarrista Vernon Reid decide não tocar mais com os caras, que resolvem acabar com a Living Colour. Mas, para o alívio de seus milhares de fãs, em 2001 ele retornaram seus trabalhos com força total.

Destaque para o álbum de 2003 Collideoscope, com couvers de AC DC e Beatles, e Praid, de 1995. Deste último, você confere uma apresentação dos caras no programa do Jô, com a música Love Rears Its Ugly Head.

* Curiosidade: Mick Jagger, dos Rolling Stones, foi um dos que ajudaram a banda a conseguir sua primeira gravadora. O vocalista dos Stones ficou tão impressionado com o som, que não exitou em indicá-los para a Epic Records.